perguntas frequentes

veja aqui as principais dúvidas sobre cirurgias plásticas

rejuvenescimento
facial

1. ONDE SE LOCALIZAM AS CICATRIZES DA BLEFAROPLASTIA? SÃO VISÍVEIS?


As pálpebras constituem uma das regiões do corpo onde a pele apresenta a menor espessura. Isso auxilia em grande monta na qualidade da cicatrização, permitindo que as cicatrizes fiquem escondidas nos sulcos naturais da pálpebra superior ou quase na margem da pálpebra inferior. Sendo assim após alguns meses (3 meses em média) tais cicatrizes ficam praticamente imperceptíveis. Enquanto isso podem ser disfarçadas com uma maquiagem leve desde os primeiros dias de pós-operatório.


2. QUAL O TIPO DE ANESTESIA UTILIZADA NA BLEFAROPLASTIA?


Na grande maioria das vezes utilizamos a anestesia local (em alguns casos podemos associar uma sedação endovenosa), uma vez que a blefaroplastia tem duração relativamente rápida e a boa qualidade dos anestésicos permite ao paciente não sentir qualquer tipo de dor durante toda a cirurgia. Em alguns casos utilizamos anestesia geral, reservada para situações nas quais os pacientes têm contra-indicação à anestesia local (raro) ou cirurgias nas quais existem outros procedimentos associados (por exemplo, uma cirurgia de lifting de face na qual se associa a blefaroplastia).


3. HÁ DOR NO PÓS-OPERATÓRIO DA CIRURGIA?


Geralmente não. Caso ocorra, em geral, será uma dor de pequena intensidade que pode perfeitamente ser tratada com anestésicos comuns.


4. EXISTE UMA IDADE IDEAL PARA SE OPERAR AS PÁLPEBRAS?


Não. Tanto pacientes de mais idade quanto mais novos podem ser submetidos ao procedimento, a depender da correta indicação do mesmo. Em pacientes mais novos por exemplo, muitas vezes não existe flacidez da pele palpebral e sim apenas um excesso das bolsas de gordura palpebrais (principalmente nas pálpebras inferiores). Nesta situação, o cirurgião poderá tratar esta estrutura que está em excesso por uma cicatriz que fica na parte interna da pálpebra (a chamada blefaroplastia transconjuntival), sem a necessidade de cicatrizes na pálpebra.


5. QUANTO TEMPO DURA UMA BLEFAROPLASTIA?


Depende de quais pálpebras serão operadas. Em geral, quando se opera as pálpebras superiores e inferiores no mesmo ato cirúrgico, a cirurgia dura em média 90 minutos. Pequenas variações existem em cada paciente, no entanto a duração da cirurgia raramente ultrapassa um período de 120 minutos.


6. QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO DA BLEFAROPLASTIA ?


Depende muito do tipo de anestesia utilizada. Em anestesias locais simples ou associadas com sedação, como a recuperação anestésica é mais rápida o período médio de internação será de 12 horas. Quando se utiliza anestesia geral, a internação média será de 24 horas.


7. QUANDO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO DA BLEFAROPLASTIA?


Em geral após 6 meses, quando o inchaço já terá regredido por completo e a cicatriz atingido sua maturação. No entanto, após a 2ª.semana pelo menos 50% deste resultado já poderá ser observado, sendo a melhora gradual até o resultado definitivo.


8. O QUE SÃO AS MANCHAS ROXAS EXISTENTES APÓS AS BLEFAROPLASTIAS?


Estas manchas roxas correspondem à infiltração de sangue na pele da pálpebra ou na conjuntiva ocular, devidas ao próprio trauma cirúrgico existente. No entanto, esta infiltração não é exatamente um problema e sim uma intercorrência existente em muitos casos, mas que regride espontaneamente após 14 dias. De suma importância é a proteção solar rigorosa que tais pacientes devem seguir ao ter tais manchas, uma vez que a incidência de sol nas mesmas sem utilização de protetor solar (fator 50 pelo menos) as tornam permanentes ao invés de temporárias.


9. AS PÁLPEBRAS FICAM MUITO INCHADAS APÓS A CIRURGIA? POR QUANTO TEMPO PERSISTE O INCHAÇO?


O inchaço (edema) das pálpebras após a blefaroplastia possui uma variação individual entre os pacientes. Nos primeiros 3 dias este inchaço apresenta-se mais pronunciado, reduzindo então gradualmente. Nestes primeiros dias a utilização de óculos escuros pode ser útil para disfarçar tal inchaço, assim como a utilização de gazes ou compressas molhadas com água ou soro fisiológico frio, permitindo a regressão do inchaço mais rapidamente. De uma maneira geral, após o 7º.dia de cirurgia as pálpebras se apresentam com um aspecto bem natural e após o 3º.mês o edema residual é muito discreto e não compromete o resultado final da cirurgia.


10. MEUS OLHOS FICARÃO OCLUÍDOS APÓS A CIRURGIA DAS PÁLPEBRAS?


Geralmente não. O que recomendamos é uma oclusão temporária dos mesmos juntamente com as pálpebras várias vezes ao dia, por alguns minutos, com gazes ou compressas embebidas em soro ou água gelada. Com esse cuidado o inchaço das pálpebras após a cirurgia regredirá bem mais rapidamente.


11. OUVI FALAR DE UM TIPO DE CIRURGIA NAS PÁLPEBRAS INFERIORES QUE NÃO DEIXA CICATRIZ. QUE CIRURGIA É ESSA?


Alguns pacientes candidatos à cirurgia de blefaroplastia não possuem flacidez na pele da pálpebra inferior, no entanto possuem aquele inchaço característico provocado pela protrusão das bolsas de gordura da pálpebra inferior na fina pele palpebral. Nessa situação em específico, como não precisamos retirar a pele flácida da pálpebra, podemos realizar a cicatriz da cirurgia na parte interna da pálpebra inferior, chamada conjuntiva ocular. Em decorrência disso, esse tipo de blefaroplastia chama-se transconjuntival (através da conjuntiva) e tem sido cada vez mais indicada em pacientes jovens com bolsas palpebrais de gordura em excesso e pele sem flacidez. Uma das vantagens é que não existem pontos para serem retirados e a recuperação pós-operatória com relação ao edema e equimoses são mais rápidas que nas cirurgias convencionais.


12. E O RESULTADO DA BLEFAROPLASTIA, COMPENSA?


Caso você tenha conseguido passar ao cirurgião suas queixas em relação às pálpebras e este consiga atender suas expectativas, a cirurgia certamente compensa. O importante é salientar que a blefaroplastia não proporcionará rejuvenescimento à face inteira se executada isoladamente. O objetivo da cirurgia é melhorar a região peri-palpebral com o tratamento cirúrgico, melhorando defeitos estéticos preexistentes. Para o rejuvenescimento facial como um todo, outros procedimentos cirúrgicos ou não cirúrgicos deverão ser realizados para otimizar o resultado, dentre eles preenchimentos, aplicação de toxina botulínica, peelings, lifting facial, dentre outros. Certamente em sua consulta médica o cirurgião lhe passará todas estas informações e caberá a vocês dois decidir quais os melhores tratamentos indicados para que se atinja o melhor resultado possível em rejuvenescimento facial.

1. QUE TIPO DE ANESTESIA É REALIZADA NA CIRURGIA ?

 

Existem dois tipos de anestesia mais frequentemente utilizadas na cirurgia do lifting facial : a anestesia local com sedação e a anestesia geral. Na anestesia local com sedação , o cirurgião aplica uma solução anestésica na face do paciente enquanto o anestesista utiliza medicações que deixarão o paciente em um estado de sedação, ou seja, dormindo ou muito próximo disso durante toda a ciurgia. Na anestesia geral o paciente fica totalmente inconsciente e monitorizado pelo anestesista. A anestesia local tem algumas vantagens, dentre elas a recuperação mais rápida do ato anestésico, sem sonolência profunda e náuseas, sendo por isso utilizada com mais freqüência.

 

2. QUANTO TEMPO DEMORA A CIRURGIA DO LIFTING FACIAL ?

 

Existem variações entre os pacientes, no entanto a média de duração da cirurgia do lifting facial gira em torno de 3 a 4 horas, uma vez que estruturas muito delicadas são abordadas na cirurgia e todo cuidado necessário ao procedimento é tomado. Caso sejam associados outros procedimentos como cirurgia das pálpebras ou dermoabrasão o procedimento tem sua duração aumentada.

 

3. ONDE FICAM AS CICATRIZES DA CIRURGIA?

 

As cicatrizes da cirurgia do lifting facial em geral se localizam logo à frente da orelha (veja o gráfico explicativo na seção especialidades), contornando a mesma posteriormente, seguindo à frente na linha de implantação do cabelo ou para dentro do couro cabeludo, a depender do tipo de lifting realizado e da flacidez apresentada na face do paciente. Como a face tem uma cicatrização muito rápida e eficaz, a cicatriz à frente da orelha fica praticamente imperceptível depois de alguns meses, enquanto a cicatriz na direção do couro cabeludo fica naturalmente escondida pelos cabelos.

 

4. QUAL A EVOLUÇÃO DAS CICATRIZES? TENHO RISCO DE DESENVOLVER QUELÓIDES NELAS?

 

Como dito anteriormente a face é uma das regiões do nosso corpo que tem a cicatrização mais eficiente, muito em razão da sua grande vascularização. Nos primeiros 2 meses as cicatrizes ficam com aspecto avermelhado, o que é aguardado e acontece em qualquer outra cicatriz no corpo. Depois deste período inicial as cicatrizes iniciam seu clareamento natural e depois de 6 meses ficam praticamente imperceptíveis, formando uma fina linha branca. Esta evolução depende muito dos cuidados pós-operatórios do paciente quanto à proteção solar, utilizando protetor solar diariamente e evitando exposição solar excessiva nos primeiros 2 meses. Existem raríssimos casos de quelóides em cirurgias de face, geralmente em pacientes de pele negra. Caso esta situação aconteça o tratamento pertinente será realizado, seja com aplicação local de corticóide, pomadas ou com um retoque da cicatriz.

 

5. COMO É A EVOLUÇÃO DA CIRURGIA NO PÓS-OPERATÓRIO? A FACE FICA INCHADA POR MUITO TEMPO?

 

Os primeiros 10 a 15 dias correspondem ao período no qual a face fica mais inchada. Após este período podemos afirmar que pelo menos 50% do edema já terá regredido. E nos casos em que se realiza lipoaspiração cervical (retirada da papada) as manchas roxas (equimoses) nos locais aspirados também regridem neste período. Como dito anteriormente as cicatrizes ficam avermelhadas nos primeiros 2 meses e depois vão gradualmente clareando. O importante é frisar que o resultado do lifting facial melhora a cada mês, em decorrência da diminuição progressiva do inchaço e da melhor acomodação da pele descolada na face

1. A RINOPLASTIA DEIXA CICATRIZES?

 

Podemos dizer que as rinoplastias produzem cicatrizes praticamente imperceptíveis. Certos narizes permitem que as cicatrizes fiquem escondidas dentro da cavidade nasal, sendo assim deixam vestígios inaparentes. Em outros casos, existem cicatrizes externas que, com o tempo, ficam imperceptíveis, seja na junção entre o nariz e a região do lábio superior (região chamada de columela) ou na junção entre as asas do nariz e a face. Tais cicatrizes, quando indicadas, serão para harmonizar melhor seu nariz e tratar com maior riqueza de detalhes suas estruturas.
Cada paciente comporta-se diferentemente do outro em relação à evolução das cicatrizes e no caso específico do nariz, geralmente tornam-se imperceptíveis. Certos pacientes podem, no entanto, apresentar tendência a cicatrização inestética (hipertrófica ou quelóide). Este fato deverá ser discutido na consulta inicial, bem como suas características familiares. Pessoas de pele clara tendem a desenvolver menos este tipo de cicatrização. No entanto, é raríssima a ocorrência deste tipo de alteração em rinoplastias.

 

2. COMO FICARÁ MINHA RESPIRAÇÃO APÓS A RINOPLASTIA?

 

As rinoplastias atualmente permitem a correção tanto da parte estética quanto da parte funcional (respiratória), na mesma cirurgia. Sendo assim, caso o paciente apresente condições respiratórias deficientes antes da cirurgia, em decorrência de alguma alteração anatômica nasal (desvio de septo, por exemplo), a mesma poderá ser corrigida. Em situações nas quais além da correção estética do nariz ocorre a correção de alguma alteração no septo nasal, a cirurgia passa a se chamar de rinosseptoplastia. No pós-operatório mediato, até cerca de duas semanas após a cirurgia, poderá ocorrer alguma dificuldade respiratória em decorrência do inchaço (edema) que ocorre na região interna do nariz (mucosa) e da alteração de elasticidade que ocorre nas asas nasais. Após este período, a respiração tende a se normalizar. Caso o paciente tenha alterações alérgicas prévias à cirurgia, como rinite, tais alterações não sofrerão qualquer alteração com a cirurgia, requerendo tratamento clínico para sua melhora.

 

3. NA RINOPLASTIA, PODEREI ESCOLHER QUALQUER FORMA QUE DESEJAR EM MEU FUTURO NARIZ?

 

Não. Na consulta médica deverá existir um consenso entre o desejo do paciente e o que a rinoplastia pode proporcionar. São inúmeras as possibilidades de tratamento possíveis em uma rinoplastia : aumentar ou diminuir o nariz, afinar a ponta, aumentar a projeção (arrebitar) do nariz, afinar as asas nasais, estreitar a região superior (óssea) quando a mesma é muito larga, retirar o excesso de osso e cartilagem nesta região quando a mesma forma o chamado “calo ósseo”. No entanto, existe um equilíbrio estético entre o nariz e as diversas estruturas da face, sendo que tal equilíbrio deverá ser observado e mantido pelo cirurgião plástico após a cirurgia. Existem inúmeras medidas e proporções entre o nariz e demais estruturas da face e cada caso será analisado minuciosamente através do exame físico, fotografias e às vezes através de exames de imagem (como rx e tomografias) a fim de oferecer ao paciente a melhor forma possível para seu nariz.

Além das limitações da face, existem limitações que o tecido envoltório do nariz apresenta. Sendo assim, pessoas de pele grossa no nariz jamais poderão apresentar um nariz fino e delicado como pessoas de pele fina. Em decorrência disso, cada paciente tem um tipo de resultado que poderá ser obtido. Uma rinoplastia em uma mulher com nariz de pele fina, como a Giselle Bundchen, por exemplo, terá resultado muito diferente da realizada em uma pessoa de nariz com pele espessa e características faciais mais fortes, como Mike Tyson por exemplo. Podemos concluir dizendo que a tendência atual das rinoplastias é de resultados mais naturais, retirando o estigma da rinoplastia com narizes muito pequenos e totalmente incompatíveis com a face, como existia antigamente.

 

4.A PARTIR DE QUE IDADE PODEREI REALIZAR A RINOPLASTIA?

 

Atualmente existe uma procura cada vez maior de adolescentes por cirurgias plásticas. Jovens cada vez mais novos procuram tratamentos estéticos tais como rinoplastias, lipoaspirações ou próteses de mama. No entanto, é necessária uma maior cautela ao indicar a rinoplastia nestes pacientes. A cirurgia poderá ser indicada quando o desenvolvimento facial do paciente já estiver concluído, o que em geral ocorre ao redor dos 16 anos. Sendo assim, caso o adolescente possua um desenvolvimento normal para sua idade, a cirurgia poderá ser realizada a partir desta idade sem problemas.
Em decorrência de a adolescência ser um período de grandes mudanças, tanto físicas quanto psicológicas, a consulta deverá ser ainda mais atenciosa, procurando ouvir atentamente a todas as queixas do paciente e responder a todas suas dúvidas. Tão importante quanto ouvir o paciente será ouvir seu responsável, explicando a ambos os resultados possíveis com a rinoplastia, bem como sua evolução pós-operatória. Com todos os cuidados tomados, a rinoplastia na adolescência certamente é uma cirurgia extremamente gratificante, muitas vezes melhorando o convívio social de jovens antes muito tímidos e retraídos para personalidades mais confiantes e seguras de si.

 

5. QUAIS EXAMES PRÉ-OPERATÓRIOS DEVEREI REALIZAR ANTES DA RINOPLASTIA?

 

Geralmente, os exames pré-operatórios necessários antes da rinoplastia são os habituais de qualquer cirurgia plástica : exames de sangue, rx de tórax e eletrocardiograma. Na grande maioria dos casos temos solicitado algum exame de imagem, como a tomografia computadorizada para estudar com maior riqueza de detalhes as estruturas nasais e melhor programar a cirurgia. Caso exista desvio de septo, solicitamos também um exame chamado rinoscopia, no qual através de uma pequena câmera visualizaremos as estruturas internas do nariz, detectando o exato ponto e a magnitude do desvio do septo nasal, bem como outras alterações porventura existentes no interior da cavidade nasal.

 

6. SERÁ PRECISO FRATURAR MEU NARIZ? EM QUE CASOS EXISTE ESSA NECESSIDADE NA CIRURGIA?

 

Em muitos casos não é necessária a fratura dos ossos nasais na cirurgia. A fratura geralmente é realizada após a raspagem do excesso de osso na parte superior do nariz, que muitos pacientes chamam de “calo no nariz”. Após esta raspagem, como os ossos nasais são muito finos, ocorre uma falta de osso onde a mesma foi realizada. A fratura nasal aproxima os ossos em direção ao meio, corrigindo tal falha. Além disso, a fratura é indicada em situações nas quais os pacientes possuem desvio da região superior do nariz (chamada de pirâmide nasal), muitas vezes em decorrência de acidentes ou traumas prévios no nariz, necessitando da fratura para centralizar o nariz e corrigir o desvio. Outra situação na qual pode ser indicada a fratura são casos nos quais os pacientes possuem a pirâmide nasal muito larga (pessoas da raça negra, por exemplo), podendo então ocorrer um afinamento desta região do nariz com a fratura. Em pacientes que possuem alterações estéticas apenas na região inferior do nariz (chamada de ponta nasal) e pequenas proeminências de osso no dorso (pirâmide) nasal, a fratura em geral não será necessária.

 

7. QUANTO TEMPO DEMORA A CIRURGIA?

 

Depende muito do nariz a ser operado. Em geral, a rinoplastia dura de 90 a 120 minutos. Caso exista desvio de septo a cirurgia poderá durar um pouco mais. Além disso, narizes que já foram operados também demandam maior tempo de cirurgia, uma vez que a fibrose existente da cirurgia prévia leva a maior dificuldade técnica e maior cautela durante a rinoplastia.

 

8. QUAL O TIPO DE ANESTESIA UTILIZADA?

 

Em situações nas quais estão previstas septoplastias e fraturas nasais, geralmente é utilizada anestesia geral. Caso tais situações não estejam programadas, poderá ser utilizada a anestesia local com sedação.

 

9. QUAL O TEMPO DE INTERNAÇÃO?

 

Geralmente 12 horas caso seja utilizada anestesia local com sedação, 24 horas caso seja utilizada anestesia geral.

 

10. O RESULTADO DA NOVA FORMA DO NARIZ É IMEDIATO APÓS A CIRURGIA?

 

Não. Assim como em qualquer cirurgia plástica, existe um tempo para que o resultado definitivo seja atingido. Sendo assim, após a retirada do curativo nasal (um plástico enrijecido, semelhante ao gesso) após o 7º.dia de cirurgia, apesar da visualização da correção de vários defeitos estéticos do nariz prévios à cirurgia, permanecerá um inchaço (edema) no nariz que desaparecerá gradualmente. Além desse edema, manchas roxas (equimoses) serão notadas ao redor do nariz, regredindo espontâneamente até o 10º. dia de cirurgia. Ao redor do 2º. mês, quase a totalidade do edema já terá regredido e próximo do 6º.mês podemos afirmar que o nariz não encontra-se mais inchado.
Além do edema, a ponta nasal permanece com um aspecto mais endurecido nos primeiros meses, em decorrência da cicatrização interna existente no nariz. Tal aspecto, igualmente sofrerá melhora gradual, de forma que ao redor do 6º. mês os tecidos da ponta apresentarão consistência mais próxima a que tinham previamente à cirurgia. Algumas variações nestes períodos podem ocorrer, dependendo da maior manipulação das estruturas nasais na cirurgia, no entanto a permanência do edema por um período maior não interfere no resultado final da rinoplastia.

 

11. POR QUANTO TEMPO PERSISTE O RESULTADO DA RINOPLASTIA?

 

Caso o paciente não sofra algum traumatismo na região nasal que modifique sua estrutura, podemos afirmar que o resultado da rinoplastia é praticamente definitivo. No entanto, após os 50 anos, o nariz passa a apresentar alterações normais ao envelhecimento facial, como alteração na espessura de sua pele e na consistência de suas cartilagens, o que poderá provocar pequenas alterações no formato obtido com a cirurgia.

 

12. SENTIREI DOR NO PÓS-OPERATÓRIO DA RINOPLASTIA?

 

Geralmente a dor no pós-operatório da rinoplastia é leve, perfeitamente controlada com analgésicos e anti-inflamatórios comuns. E mesmo que ocorra esta leve dor, a mesma não costuma ultrapassar os primeiros cinco dias de pós-operatório.

 

13. QUANDO PODEREI TOMAR SOL?

 

Recomenda-se uma proteção solar rigorosa nos primeiros dois meses após a cirurgia, principalmente caso existam pequenas cicatrizes externas nas asas nasais e na junção entre o nariz e o lábio superior (chamada de columela). Após o 2º. mês, recomenda-se utilizar protetor solar durante a exposição solar, a fim de manter as cicatrizes claras e com boa qualidade.

 

14. SERÃO UTILIZADOS CURATIVOS NO NARIZ? QUAIS E POR QUANTO TEMPO?

 

Ao final da cirurgia, o nariz será imobilizado com um curativo feito de um plástico enrijecido (chamado aquaplast), cuja função será semelhante à do gesso, fixando os ossos nasais até a sua cicatrização ser estabelecida. Este curativo será retirado no consultório entre o 7º. e 10º.dia de pós-operatório. Tamponamento com gazes no interior das narinas poderá ser utilizado, no entanto será retirado em 24 horas, antes da alta hospitalar após a cirurgia. Após a retirada do aquaplast, será mantido um curativo com uma fita adesiva (micropore) em todo o nariz, a fim de acelerar a absorção do inchaço e ajudar na acomodação da pele do nariz sobre os tecidos nasais. Sendo assim, geralmente após a 2ª. semana de cirurgia não existirão mais curativos ocluindo o nariz.

 

15. PODERÁ OCORRER SANGRAMENTO PELAS NARINAS NOS PRIMEIROS DIAS APÓS A CIRURGIA?

 

Nas primeiras 48 horas poderão ocorrer pequenos sangramentos após a cirurgia, principalmente se foi realizada septoplastia. No entanto quase sempre não será motivo de preocupação, uma vez que um curativo com gaze é deixado na base do nariz nas primeiras 48 horas para controlar estes pequenos sangramentos. Este curativo poderá ser trocado em casa se necessário, ao contrário do curativo com aquaplast na pirâmide nasal, que só poderá ser retirado pelo cirurgião.

 

16. QUANDO PODEREI REALIZAR EXERCÍCIOS FÍSICOS?

 

Após um mês de pós-operatório os exercícios físicos serão liberados. Atividades físicas de contato, no entanto, como lutas, basquete e futebol, por exemplo, só serão liberadas após dois meses, uma vez que este é o tempo seguro para a cicatrização da fratura nasal que geralmente é realizada durante a rinoplastia.

 

17. TENHO DESVIO DE SEPTO E GOSTARIA DE MELHORAR A PARTE ESTÉTICA DO MEU NARIZ. POSSO REALIZAR AS DUAS CIRURGIAS AO MESMO TEMPO?

 

Sim. Inclusive é muito frequente esta associação de cirurgia estética nasal e septoplastia, situação na qual a cirurgia se chama rinosseptoplastia. Nestas situações, a cirurgia poderá durar um pouco mais, no entanto mesmo com um tempo cirúrgico um pouco maior, dificilmente ultrapassa 3 horas de cirurgia. Nesta situação, cuidados maiores com relação ao repouso deverão ser tomados para evitar sangramentos nasais e o edema na parte interna do nariz poderá ser um pouco maior, sendo assim levará mais tempo para que o paciente tenha sua respiração normalizada após a cirurgia. Mesmo com esse maior edema interno, geralmente após a 1ª. semana de cirurgia a respiração estará praticamente normal, com a maior parte do edema interno no nariz resolvida.

 

18. EM QUE POSIÇÃO DEVEREI DORMIR NOS PRIMEIROS DIAS?

 

Nas primeiras duas semanas, sempre com a cabeça discretamente elevada no travesseiro, para acelerar a regressão do edema. Até o período de um mês de pós-operatório, o paciente deverá manter a cabeça para cima, nunca lateralmente para não encostar o nariz no travesseiro e causar desvios no nariz.

 

19. A RINOPLASTIA PODERÁ SER ASSOCIADA À OUTRA CIRURGIA PLÁSTICA ?

 

Sim. É muito frequente a associação de rinoplastia com outras cirurgias no segmento facial, como cirurgia de pálpebras, lipoaspiração cervical e lifting de face. Menos frequente, mas também possível, é a associação com cirurgias do contorno corporal, como prótese de mama, abdominoplastia e lipoescultura. Tais associações deverão ser discutidas com seu cirurgião durante a consulta, quando será previsto o tempo de cirurgia, a segurança da mesma, o conforto no pós-operatório e a viabilidade da associação.

 

20. QUAL A EVOLUÇÃO NO PÓS-OPERATÓRIO DA RINOPLASTIA?

 

Apesar de o resultado imediato da rinoplastia já ser muito bom, não se deve esquecer que, com os meses, o resultado tende a melhorar cada vez mais, proporcionando um nariz cada vez mais natural e harmonioso com sua face. Sendo assim, nos primeiros dias após a cirurgia, é comum a ocorrência de alguma dificuldade respiratória, manchas roxas (equimoses) ao redor do nariz e edema (inchaço). Nas duas primeiras semanas após a cirurgia estas manchas e dificuldade respiratória tendem a se normalizar, ao passo que o edema demora um pouco mais a ser absorvido (ao redor do 3º.mês cerca de 80% do edema terá sido absorvido, o restante diminuirá gradualmente até o 6º.mês). Acompanhando a absorção do edema, a ponta do nariz adquirirá um resultado cada vez mais natural, em função da diminuição da fibrose interna existente nos primeiros meses da rinoplastia que deixa o nariz com um aspecto levemente endurecido. Existem variações individuais entre os pacientes quanto aos períodos de tempo especificados. Caso sua evolução demore um pouco mais, não se preocupe, tenha paciência que seu organismo se encarregará de dissipar os pequenos transtornos que possam vir a acontecer. O mais importante é transmitir qualquer tipo de dúvida à equipe médica e não dar ouvidos à leigos.

A ansiedade no pós-operatório é normal e reflete o desejo do paciente em atingir o resultado final o quanto antes. É importante controlar tal ansiedade e lembrar que nenhum resultado em rinoplastia deve ser definitivamente avaliado antes do 6º.mês de pós-operatório, sendo que o ideal é aguardar o período de 1 ano, uma vez que pequenas alterações quanto ao edema e formato da ponta nasal ainda podem ocorrer até o final deste período.

 

21. O RESULTADO DA RINOPLASTIA COMPENSA?

 

Certamente. Dentre as cirurgias estéticas, a rinoplastia é uma das que proporcionam maior satisfação aos pacientes. Importante lembrar, no entanto, que cada paciente é analisado individualmente durante a consulta com seu cirurgião plástico, ocasião em que serão esclarecidos todos os detalhes aqui relatados, bem como qualquer outra dúvida que você tenha a respeito da cirurgia. Desde que tenhamos decidido mutuamente (médico e paciente) a realizar a cirurgia, é porque o resultado compensa. Caso contrário, se não pudermos atender as suas expectativas ou exista algo que impeça a realização da rinoplastia, seremos os primeiros a recusar a realização da mesma.

 

22. EXISTEM RISCOS NA CIRURGIA DE RINOPLASTIA?

 

Raramente existem sérias complicações após uma cirurgia de rinoplastia. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para a cirurgia, indicando-a corretamente e explicando com detalhes durante a consulta os resultados possíveis de se obter com a mesma. Porém, como em qualquer procedimento cirúrgico, existem riscos e dentre os possíveis podemos citar: sangramento, infecção cirúrgica, intercorrências anestésicas, hematoma, obstrução nasal e irregularidades

contorno corporal

1. A ABDOMINOPLASTIA DEIXA CICATRIZ MUITO VISÍVEL?

 

A cicatriz resultante de uma abdominoplastia (ou dermolipectomia abdominal) localiza-se horizontalmente logo acima da implantação dos pelos pubianos (geralmente na mesma linha da cicatriz da cesárea) e prolonga-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo da extensão da flacidez abdominal a ser corrigida. Esta cicatriz é planejada para ficar escondida sob as roupas de banho ou roupas íntimas e gradualmente vai adquirindo melhor aspecto estético após a cirurgia, chegando a seu resultado definitivo geralmente um ano após a realização da mesma.

 

2. QUANTOS QUILOS VOU EMAGRECER COM A ABDOMINOPLASTIA ?

 

Por tratar-se de uma cirurgia que retira determinada quantidade de pele e gordura na região abdominal, certamente haverá uma redução no peso corporal, que varia de acordo com o volume de abdome retirado de cada paciente. No entanto, não são os “quilos” retirados que definirão um resultado estético agradável e sim as proporções que o abdome manterá com o restante do tronco e os membros. Muitas vezes, abdomes nos quais retiramos pequena quantidade de tecido apresentam resultado estético final excelente, uma vez que existem vários outros detalhes na cirurgia que levam a um bom resultado final.
A maioria das mulheres apresenta diferentes graus de “flacidez” abdominal após um ou vários partos, com predominância de pele sobre a quantidade de gordura localizada na região abdominal. Estes casos permitem excelentes resultados. Em outros casos, nos quais as pacientes estão com excesso de peso, o resultado também será compensatório e proporcional ao restante do corpo, principalmente quando se associa uma lipoaspiração abdominal. Vale lembrar que o “excesso de gordura” em outras regiões vizinhas ao abdome ainda existirá, o que nos leva a aconselhar as pacientes que tentem emagrecer antes da cirurgia, a fim de proporcionar maior equilíbrio corporal e melhor resultado estético.

 

3. É VERDADE QUE SERÁ FEITO UM NOVO UMBIGO NA ABDOMINOPLASTIA ?

 

Não. Na verdade o que ocorre é um remodelamento do umbigo, muitas vezes melhorando esteticamente seu contorno e seu tamanho ao reposicionar a pele abdominal ao seu redor. Devemos levar em conta que na região interna do umbigo existirá uma cicatriz que sofrerá a mesma evolução da cicatriz abdominal inferior, melhorando gradualmente com o passar dos meses. No entanto, pelo fato de ser uma cicatriz circular, em alguns casos a evolução poderá não ser aquela que se deseja, levando a um aspecto considerado como “artificial”. Alterações cicatriciais são passíveis de ocorrer em qualquer paciente, no entanto caso ocorram são passíveis de tratamento com medicações específicas ou refinamento sob anestesia local.

 

4. A ABDOMINOPLASTIA CORRRIGE AQUELE EXCESSO DE GORDURA SOBRE A REGIÃO DO ESTÔMAGO ?

 

Não necessariamente. O excesso de gordura na região do estômago não é corrigido por uma abdominoplastia simples (cujo objetivo é a retirada de pele e tratamento da flacidez abdominal) , no entanto pode ser corrigido caso seja associada uma lipoaspiração da região abdominal desejada. É muito frequente a associação de lipoaspiração à cirurgia de abdominoplastia e a mesma pode tanto ser realizada na região abdominal quanto na cintura, costas, quadril, coxas, braços e demais regiões que se tenha a intenção de diminuir a quantidade de gordura localizada.

 

5. EM QUANTO TEMPO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO DA ABDOMINOPLASTIA ?

 

Como em toda cirurgia plástica, o resultado da abdominoplastia é gradual e melhora mais a cada mês de pós-operatório. Nos primeiros meses, o abdome apresenta uma diminuição relativa da sensibilidade, além de estar sujeito a períodos de “inchaço” que regride gradualmente e espontaneamente. Com o decorrer dos meses, após iniciados os exercícios físicos e após as sessões de drenagem linfática, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. De uma maneira geral, podemos salientar que após 2 meses, pelo menos 70% do inchaço já terá regredido e ao final do 6º.mês o resultado estará muito próximo do definitivo. A cicatriz abdominal após o 6º.mês ainda vai melhorar seu aspecto, atingindo sua coloração e consistência definitiva um ano após a cirurgia.

 

6. PODEREI TER FILHOS APÓS A REALIZAÇÃO DA ABDOMINOPLASTIA ? O RESULTADO NÃO FICARÁ PREJUDICADO ?

 

A decisão a respeito de ter ou não mais filhos caberá a você e seu ginecologista. Quanto à manutenção do resultado, o mesmo poderá ou não ser preservado, desde que na nova gestação seu peso seja controlado com atividades físicas adequadas e controle alimentar. Caso você tenha este cuidado, poderá manter o bom resultado estético da cirurgia prévia ao final da gravidez. Entretanto, é evidente que existe a possibilidade de um ganho de peso maior durante a gestação, levando a uma nova situação de flacidez e excesso de pele na região abdominal. Sendo assim, aconselhamos que as pacientes tenham todos seus filhos programados antes de se submeter a uma abdominoplastia, evitando a possibilidade futura de novas intervenções cirúrgicas.

 

7. O PÓS-OPERATÓRIO DA ABDOMINOPLASTIA É MUITO DOLOROSO ?

 

Não. Uma abdominoplastia de evolução normal não apresenta dor excessiva. A dor existente após a cirurgia é perfeitamente tratável com analgésicos e anti-inflamatórios convencionais. No entanto, a associação de cirurgias como lipoaspiração e mamoplastia, pode aumentar a intensidade da dor, uma vez que diferentes regiões do corpo operadas aumentam a chance de dores incômodas. Mas mesmo nestes casos, em que se realize abdominoplastia associada a outras cirurgias, analgésicos mais fortes podem proporcionar tranquilidade a paciente, evitando a possibilidade do aparecimento de dores excessivas.

 

8. HÁ PERIGO NA ABDOMINOPLASTIA ? QUAIS OS RISCOS DA CIRURGIA ?

 

Raramente a cirurgia de abdominoplastia (dermolipectomia abdominal) traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos e com todos os cuidados necessários. Isto se deve ao fato de prepararmos convenientemente cada paciente para o ato operatório, solicitando exames pré-operatórios, avaliação cardiológica e anestésica, além de ponderarmos sobre a conveniência da associação desta cirurgia simultaneamente a outras. Outro fato de extrema importância é a busca por um cirurgião plástico habilitado e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica para realizar o procedimento cirúrgico, um profissional qualificado que realizará sua cirurgia com todos os detalhes e cuidados necessários a sua boa evolução. Por fim, tão importante quanto os itens anteriores é a realização da cirurgia em um hospital ou clínica de boa qualidade, com todos os recursos necessários para a realização do procedimento com toda a segurança necessária. Sendo assim, a abdominoplastia possui a mesma possibilidade de riscos como qualquer outra cirurgia, como infecções, sangramento, intercorrências anestésicas ou alterações cicatriciais, o que pode ser evitado conforme todos os cuidados listados acima.

 

9. QUE TIPO DE ANESTESIA É UTILIZADA PARA A ABDOMINOPLASTIA ?

 

Anestesia geral ou peridural, a depender da avaliação do médico anestesiologista.

 

10. QUANTO TEMPO DURA O ATO CIRÚRGICO ?

 

Em média 3 horas, caso não ocorra a associação de outras cirurgias.

 

11. QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO ?

 

Geralmente, 24 horas em evoluções normais.

 

12. É UTILIZADO DRENO NA ABDOMINOPLASTIA ?

 

Sim. O mesmo permanece na paciente em média de 2 a 5 dias, dependendo da quantidade de secreção drenada após a cirurgia.

1. A GLUTEOPLASTIA DE AUMENTO DEIXA CICATRIZES ?

 

Toda cirurgia deixa cicatrizes, algumas em locais mais visíveis, outras em locais mais camuflados. Felizmente a cirurgia de prótese glútea nos permite colocar a cicatriz em um local bem disfarçado, em um sulco natural existente na região superior dos glúteos ( logo abaixo do cóccix). A cicatriz é pequena (cerca de 5 cm) e possui uma qualidade muito boa, o que somado à sua localização escondida a torna praticamente imperceptível.

 

2. ONDE SE LOCALIZA A CICATRIZ ?

 

A cicatriz se localiza no início do sulco interglúteo, prega natural existente entre as nádegas. A cicatriz tem cerca de 5 cm e se localiza na região superior deste sulco, possuindo um resultado muito bom e discreto a longo prazo, pelo fato de estar naturalmente escondida.

 

3. COMO FICARÃO O TAMANHO E CONSISTÊNCIA DE MINHAS NÁDEGAS DEPOIS DE COLOCADAS AS PRÓTESES GLÚTEAS?

 

Naturalmente as nádegas terão seu tamanho aumentado com a cirurgia. Além disso, buscamos melhorar a forma e a consistência dos glúteos com o implante das próteses. Após sua consulta médica, através de uma série de medidas realizadas em seus glúteos e mantendo o equilíbrio com seu tronco, seu cirurgião irá sugerir qual a prótese com o tamanho e forma mais adequados ao seu corpo. Existe uma harmonia entre o volume ideal dos glúteos, o tamanho do tronco e a altura da paciente, harmonia esta que deve ser preservada ao final da cirurgia. Sendo assim se uma amiga colocou prótese glútea de determinado tamanho e formato, não necessariamente está prótese será a Idea para você. Como a prótese glútea tem uma consistência maior que o tecido das nádegas, é esperado um aumento da consistência das mesmas após a colocação das próteses.

 

4. POSSO ESCOLHER A FORMA E TAMANHO DE PRÓTESE QUE QUISER?

 

Cada paciente apresenta particularidades no que diz respeito à consistência, forma e volume das nádegas e mesmo nas proporções entre sua altura, o tamanho do tronco e do quadril. Como dissemos anteriormente, não é porque uma amiga ou modelo famosa colocou determinado tamanho e formato de prótese que a mesma será ideal para você. Existem inúmeras combinações possíveis entre formato, volume e tipo de prótese glútea e a ideal para você será escolhida na consulta médica após minucioso exame físico.

 

5. EXISTE RISCO DA PRÓTESE DE GLÚTEO ESTOURAR?

 

As próteses de glúteo são de um material extremamente resistente e distensível, mais resistente inclusive que as próteses de mama. Além deste fator, a prótese glútea tem a proteção de uma grande camada de tecido adiposo glúteo e do músculo glúteo máximo, localizados acima da prótese, o que diminui consideravelmente a incidência de ruptura em traumas desta região. Em casos de rotura por trauma, a prótese atuaria como uma absorvente do impacto, ajudando a evitar maiores danos à bacia. Apesar de muito raros, em tais casos as próteses poderiam ser trocadas pela própria cicatriz da gluteoplastia de aumento, sem qualquer sequela à paciente.

 

6. CASO EU NECESSITE DE INJEÇÕES, ELAS PODERÃO SER REALIZADAS NO GLÚTEO?

 

Não, após a cirurgia de gluteoplastia de aumento as injeções intramusculares nunca mais poderão ser realizadas nos glúteos. No entanto isto não traz qualquer malefício, uma vez que tais injeções podem igualmente ser realizadas nos braços e nas coxas, com a mesma eficácia das injeções na região glútea.

 

7. ONDE FICAM LOCALIZADAS AS PRÓTESES GLÚTEAS, ACIMA OU ABAIXO DO MÚSCULO?

 

A prótese glútea se localiza em um plano abaixo intramuscular, envolvida pelas fibras do músculo glúteo máximo. Sendo assim, existe uma grande proteção à prótese proporcionada pelo músculo e pela camada de tecido adiposo, evitando que a mesma seja visualizada externamente, proporcionando um aspecto mais natural à gluteoplastia de aumento.

 

8. O PÓS-OPERATÓRIO DA GLUTEOPLASTIA DE AUMENTO É DOLOROSO?

 

Um pouco doloroso, principalmente nos primeiros três dias, em decorrência da distensão muscular provocada pela prótese entre as fibras do músculo glúteo máximo. No entanto é uma dor perfeitamente controlada com analgésicos e anti-inflamatórios comuns, melhorando gradualmente durante a primeira semana após a cirurgia.

 

9. QUANDO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO DA GLUTEOPLASTIA DE AUMENTO?

 

Apesar de resultado imediato ser muito bom, tanto no novo formato quanto no tamanho dos glúteos, as nádegas atingirão seu resultado definitivo após cerca de 6 meses, quando todo o inchaço terá cedido. No entanto, cerca de 90% do inchaço dos glúteos regride após 3 meses, sendo este o período com maiores mudanças no formato dos mesmos. A regressão do edema deixará seus glúteos com um aspecto mais natural e bonito, sendo assim o resultado da cirurgia melhora progressivamente até o 6º.mês de pós-operatório.

 

10. QUAL O TIPO DE ANESTESIA UTILIZADA?

 

Na grande maioria das vezes anestesia peridural, algumas vezes anestesia geral. Depende de cada paciente, das indicações e contraindicações de cada tipo de anestesia, o que será discutido com seu anestesista antes da cirurgia.

 

11. QUANTO TEMPO DURA A CIRURGIA?

 

A duração média da cirurgia é de 90 minutos. Variações neste tempo podem ocorrer dependendo de cada caso, no entanto a duração da cirurgia dificilmente ultrapassará o período de 120 minutos.

 

12. POR QUANTO TEMPO FICAREI INTERNADA?

 

Geralmente por 24 horas, independente do tipo de anestesia utilizada.

 

13. SÃO UTILIZADOS DRENOS NA GLUTEOPLASTIA DE AUMENTO?

 

Quase sempre utilizamos um pequeno dreno que permanecerá no interior dos glúteos por um período médio de 48 horas, em geral. O dreno é importante no sentido de evitar o acúmulo de sangue e secreções no interior dos glúteos , diminuindo assim a incidência de complicações na cirurgia e auxiliando na regressão do edema pós-operatório.

 

14. QUANDO SERÃO RETIRADOS OS PONTOS DA CIRURGIA?

 

Geralmente são utilizados pontos internos absorvíveis, não necessitando retirada, associado à aplicação de uma cola cirúrgica na parte externa da cicatriz, melhorando a qualidade da mesma e diminuindo o risco de infecção.

 

15. QUANDO PODEREI TOMAR BANHO COMPLETO?

 

Geralmente logo depois de retirar o dreno, ou seja, de 48h após a cirurgia.

 

16. QUANDO PODEREI REALIZAR ATIVIDADES FÍSICAS?

 

Geralmente você estará habilitada a realizar caminhadas mais leves 3 semanas após a cirurgia. Corridas e ciclismo somente 45 dias após a cirurgia e musculação 2 meses após. Estes períodos são uma estimados, sendo assim é importante você perguntar ao seu cirurgião se está habilitada a realizar qualquer tipo de atividade física antes de fazê-la.

 

17. O QUE VEM A SER A RETRAÇÃO DA CÁPSULA DA PRÓTESE DE GLÚTEO?

 

É uma retração exagerada da cápsula fibrosa (cicatriz interna) que se forma em torno da prótese, determinando diferentes graus de endurecimento à região, quando palpada, mais conhecida como “rejeição da prótese”. Alguns casos podem sofrer retração com diferentes graus de dor nos glúteos, se isto ocorrer as próteses poderão ser retiradas e trocadas. Posteriormente, ambos, cirurgião e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de outras próteses, com um diferente plano de introdução ou outra conduta que melhor se adapte ao caso. A retração da cápsula não reflete um problema cirúrgico, mas sim, um comportamento reacional exacerbado do organismo, devido à presença das próteses de silicone. No entanto atualmente a qualidade das novas próteses de silicone diminui muito a incidência destas retrações nas pacientes. Sua ocorrência atualmente nas próteses glúteas é muito rara, ocorrendo em menos de 2% dos casos. Os leigos costumam chamar de “rejeição” a contratura da cápsula, porém a gluteoplastia de aumento não produz a verdadeira rejeição, por ser o silicone inerte e não levar à produção de anticorpos.

 

18. A PRÓTESE DE GLÚTEO DEVERÁ SER TROCADA? QUANDO?

 

A prótese glútea sofre um desgaste natural com o tempo, com alguma alteração em seu formato. No entanto, devido ao grande desenvolvimento tecnológico da última geração de próteses glúteas, acredita-se que as próteses de hoje deverão ser trocadas geralmente após 20 anos. No entanto, caso após 20 anos as próteses permaneçam com aspecto agradável tanto em sua forma quanto em sua consistência, sua troca não é necessária.

 

19. COMO SABER SE DESENVOLVEREI CICATRIZES MUITO VISÍVEIS, FORMANDO QUELÓIDES?

 

A tendência ao desenvolvimento de cicatrizes hipertróficas ou queloides é muito influenciada por fatores genéticos. Em geral, pessoas de pele clara têm uma menor tendência a esta complicação cicatricial, enquanto pessoas de pele morena ou orientais têm maior predisposição ao queloide ou cicatriz hipertrófica. . Essa tendência, entretanto, poderá ser prevista, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe fazemos uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Esta tendência, entretanto, não é uma regra absoluta, a análise dos antecedentes facilita o prognóstico mas não o define. O que diminui a incidência destas cicatrizes são cuidados utilizados durante o fechamento das mesmas na cirurgia, como um fechamento meticuloso de toda a cicatriz e a utilização de cola cirúrgica na região externa da mesma.

 

20. EXISTE CORREÇÃO PARA ESTAS CICATRIZES INESTÉTICAS NOS GLÚTEOS?

 

Hoje em dia, a cirurgia plástica dispõe de vários recursos que nos permitem não só melhorar tais cicatrizes como prevenir seu aparecimento. Pomadas e injeções a base de corticoide no local da cicatriz e pequenas placas compressivas de silicone constituem no principal tratamento, que será instituído por seu cirurgião na época adequada. Lembramos que os queloides ou cicatrizes hipertróficas não devem ser confundidos com a evolução normal de uma cicatriz, que mantém um aspecto avermelhado nos primeiros 2 meses e melhora gradualmente com o tempo. Lembrar que dúvidas a respeito da sua cicatriz deverão ser esclarecidas por seu cirurgião e não por terceiros.

 

21. A CIRURGIA DE PRÓTESE GLÚTEA PODE SER ASSOCIADA A OUTRAS CIRURGIAS PLÁSTICAS?

 

Sim. É extremamente comum a associação de outras cirurgias à cirurgia de prótese glútea, principalmente a lipoaspiração. Toda associação deverá ser questionada ao seu cirurgião, sendo que a possibilidade de associar mais de duas cirurgias não costuma ser recomendada, uma vez que a duração excessiva pode trazer mais malefícios que benefícios às pacientes.

 

22. QUAL A MELHOR CIRURGIA : PRÓTESE DE SILICONE NOS GLÚTEOS OU AUMENTO COM LIPOESCULTURA ?

 

Não existe uma resposta certa para esta pergunta. São cirurgias diferentes, com expectativas diferentes porém com objetivos semelhantes : o aumento dos glúteos. O aumento dos glúteos através da lipoescultura tem limitações, ou seja, para glúteos muito pequenos que necessitem de grandes quantidades de gordura para seu aumento, não está indicada a lipoescultura com enxerto de gordura nos glúteos. Isto acontece porque na lipoescultura utilizamos as células vivas de gordura retiradas de outras regiões do corpo (como flancos e culotes) e as implantamos nos glúteos esperando que as mesmas permaneçam vivas em sua nova localidade. As células que não permanecem vivas são retiradas pelas células de defesa do organismo, levando a uma taxa variável de absorção desta gordura (em média, de 20 a 30% da gordura implantada é absorvida). No entanto, caso grande quantidade de gordura seja implantada nos glúteos, a chance da mesma ser absorvida é maior, com menor sobrevivência destas células, levando a resultados abaixo da expectativa dos pacientes. Além deste detalhe, a enxertia de gordura nos glúteos não aumenta a consistência de gordura dos mesmos, apenas o volume. Por fim, pacientes magras, sem gordura localizada que desejam aumento glúteo, por razões óbvias não estão habilitadas a este tipo de cirurgia, já que o material para o aumento (gordura) não existe em quantidade suficiente.

Já as próteses de silicone glúteas, permitem aumentos maiores de volume sem os riscos acima citados da lipoescultura, além de notadamente melhorar a consistência dos glúteos (o mesmo acontece com as próteses mamárias, que aumentam o volume e consistência das mamas). E quando as próteses são bem escolhidas pelo cirurgião plástico, conseguimos também formatos mais arredondados nos glúteos, com contorno esteticamente mais agradável.
Resumindo : para aumentos pequenos nos glúteos, correção de pequenas imperfeições, a lipoescultura está bem indicada. Já para aumentos maiores, em pacientes que também desejam melhorar a consistência dos glúteos, a cirurgia mais indicada seria o implante de próteses de silicone.

 

23. EXISTEM RISCOS NA GLUTEOPLASTIA DE AUMENTO?

 

Raramente ocorrem complicações sérias na gluteoplastia de aumento. Isto ocorre em decorrência de uma preparação adequada dos pacientes, além de ponderarmos sobre a conveniência ou não da associação desta cirurgia a outras. Os riscos da cirurgia de prótese glútea são os inerentes a qualquer outro procedimento cirúrgico (sangramento, infecção, cicatrizes inestéticas) e alguns riscos específicos, como a contratura da cápsula glútea explicada acima. No entanto a escolha de um bom profissional, Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e a escolha de um hospital ou clínica adequados e bem equipados para o procedimento cirúrgico ajudam a minimizar tais riscos.

1. O QUE É LIPOASPIRAÇÃO ? QUAL A DIFERENÇA ENTRE LIPOASPIRAÇÃO CONVENCIONAL E LIPOESCULTURA?

 

A lipoaspiração é uma cirurgia cujo objetivo é a redução do volume de gordura corporal em áreas localizadas, propiciando ao paciente um melhor contorno corporal. Durante a cirurgia, a gordura é retirada da camada de células mais profunda, que não se modifica consideravelmente com a perda ou ganho de peso. Sendo assim, ao contrário do que muitos pensam, a lipoaspiração não é indicada para perder peso, uma vez que a maior mudança acontece na silhueta corporal e não na balança.
Já na lipoescultura, como o próprio nome diz, o cirurgião plástico esculpe o corpo, utilizando parte da gordura aspirada para preencher outras regiões, como os glúteos, culotes, sulcos da face ou qualquer outra região do corpo que apresente depressões passíveis de serem corrigidas pela lipoescultura (também chamada de lipoenxertia).

 

2. COMO SABER SE TENHO INDICAÇÃO DE REALIZAR LIPOASPIRAÇÃO?

 

Para que seja possível realizar a lipoaspiração, existem duas indicações básicas apresentadas a seguir :

*Pacientes com gordura localizada e em seu peso ideal ou próximo dele uma vez que, como dito anteriormente, a lipoaspiração tem a função de modelar a silhueta corporal e não emagrecer.
*Pacientes com pele de boa qualidade, sem flacidez e com boa elasticidade, uma vez que a lipoaspiração retira excessos de gordura e não de pele. Após a cirurgia você dependerá da retração da pele nos locais lipoaspirados, sendo assim, caso você tenha grande flacidez, após a lipoaspiração poderá restar excesso de pele que interfere no resultado final da cirurgia.

 

3. QUAL O TIPO DE ANESTESIA UTILIZADA?

 

Poderá ser utilizada anestesia local, local com sedação, peridural ou anestesia geral, dependendo da área a ser operada e do volume de gordura a ser aspirado.

 

4. QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?

 

Geralmente de 12 a 24 horas, dependendo da extensão da lipoaspiração e anestesia utilizada.

 

5. QUANTO TEMPO DURA A CIRURGIA?

 

Depende basicamente da extensão da área a ser lipoaspirada. Pequenas lipoaspirações podem durar 1 hora, enquanto cirurgias com maior extensão corporal a ser lipoaspirada podem durar até 5 horas.

 

6. EXISTE ALGUM LIMITE DE GORDURA A SER LIPOASPIRADO NA CIRURGIA?

 

Sim. Inúmeros centros de pesquisa ao redor do mundo elucidaram que o limite seguro de gordura a ser aspirado na cirurgia não deve ultrapassar 5 a 7% do peso corporal do paciente ou 40% da área corporal total. Sendo assim, caso você pese 60kg o limite seguro de gordura a ser retirado na cirurgia será entre 3 e 4 kg.
Esse limite é importante e deverá ser seguido na cirurgia para sua segurança, uma vez que volumes maiores que os especificados trazem mais riscos que benefícios, podendo ocasionar problemas como anemia, desidratação pós-operatória, fraqueza e maior risco de infecção cirúrgica pela duração excessiva da cirurgia.

 

7. AS CICATRIZES DA LIPOASPIRAÇÃO SÃO GRANDES? ONDE FICAM LOCALIZADAS?

 

As cicatrizes da lipoaspiração são todas muito pequenas, medindo entre 5 e 10 mm. Além de pequenas, ficam localizadas em áreas escondidas no corpo, como na área do biquíni, no sulco mamário, dentro do umbigo, no sulco glúteo ou na prega dos cotovelos, dependendo das áreas a serem lipoaspiradas. Como são muito pequenas, geralmente adquirem qualidade boa e dificilmente evoluem com alterações cicatriciais como queloides e cicatrizes hipertróficas.

 

8. EM QUAIS REGIÕES DO CORPO PODEREI REALIZAR LIPOASPIRAÇÃO?

 

Uma vez que o objetivo da lipoaspiração é a retirada de gordura localizada, poderá ser realizada em locais com acúmulo natural da mesma. As regiões mais frequentemente lipoaspiradas são abdômen, flancos (gordura lateral do abdômen), dorso, coxas, culotes, pernas, braços, pescoço e face. Não se faz lipoaspiração em regiões articulares, como cotovelos, ombros, tornozelo e região posterior dos joelhos.

 

9. É NECESSÁRIA A UTILIZAÇÃO DE DRENO APÓS A CIRURGIA?

 

Não utilizamos dreno em lipoaspirações pequenas. Já nas lipoaspirações maiores e principalmente se associadas a outros procedimentos como abdominoplastia, drenos poderão ser utilizados por um curto período (de 2 a 5 dias), drenando secreções acumuladas nos locais lipoaspirados e auxiliando na regressão do edema e equimoses pós-operatórias.

 

10. POR QUANTO TEMPO DEVEREI UTILIZAR A CINTA (MACAQUINHO) NO PÓS-OPERATÓRIO?

 

Você deverá utilizar a cinta por cerca de 2 meses após a cirurgia. No primeiro mês 24h por dia, só a retirando durante o banho e higiene pessoal. No 2º.mês você poderá ficar algumas noites sem a utilizar, dependendo da avaliação do seu cirurgião plástico. Lembramos que a utilização incorreta da cinta manterá as regiões lipoaspiradas inchadas por mais tempo, comprometendo o resultado final e qualidade da cirurgia.

 

11. SENTIREI MUITA DOR NO PÓS-OPERATÓRIO DA LIPOASPIRAÇÃO?

 

O limiar de dor após a cirurgia é extremamente variável entre os pacientes. Nestes pacientes, a sensação mais comumente referida é um certo desconforto provocado pelo inchaço e dor da área operada, no entanto esta dor é facilmente tratada com analgésicos e anti-inflamatórios comuns. A dor é mais frequente nos primeiros 3 a 5 dias de cirurgia, depois praticamente desaparece não necessitando mais ser tratadas com analgésicos. Algumas inovações técnicas recentes, como a utilização da vibrolipoaspiração, provoca menos dor no pós-operatório da lipoaspiração como explicado anteriormente. Menos dor significa uma recuperação mais rápida ao paciente e um retorno mais breve às suas atividades profissionais e esportivas. No entanto, vale ressaltar que quanto maior o repouso da paciente, principalmente na 1ª. semana, menor será a dor que a mesma sentirá.

 

12. COMO FICARÁ A SENSIBILIDADE DE ÁREA OPERADA ?

 

Quando a cânula de lipoaspiração aspira a gordura, apesar de todo o cuidado e técnica adequada da cirurgia, ela raspa em pequenos nervos que promovem a sensibilidade da região. Sendo assim, ocorre uma alteração de sensibilidade no local em decorrência do trauma cirúrgico provocado pela lipoaspiração / lipoescultura. Esta diminuição de sensibilidade tende a retornar gradativamente com o tempo, o prazo de retorno varia entre os pacientes. Esta diminuição de sensibilidade é referida por vezes como insensibilidade ou amortecimento local.

 

13. COMO É A RECUPERAÇÃO PÓS-OPERATÓRIA DA LIPOASPIRAÇÃO / LIPOESCULTURA ?

 

Após a realização da cirurgia, o paciente já saí da sala de operação com um novo perfil corporal, porém este estará obscurecido pelo edema (inchaço). O edema e a equimoses (manchas roxas) são mais intensos nas primeiras duas semanas e gradualmente vão desaparecendo. Um edema residual e leve é esperado até o 6º.mês após a cirurgia.
Ao final do primeiro mês, quando começa a ocorrer uma melhor absorção do edema pós-operatório (redução esta de 70-80% no primeiro mês), é comum o surgimento de áreas endurecidas e pequenas nodulações, devidas à fibrose (cicatrização interna natural em qualquer processo cirúrgico. Estas áreas endurecidas vão sendo gradualmente dissolvidas até o 4º.mês de pós-operatório, com o grande auxílio das drenagens linfáticas .
A retração da pele esperada após a lipoaspiração ocorre do terceiro ao sexto mês após a lipoaspiração e sua intensidade depende da qualidade da pele. Ou seja, peles de boa qualidade, sem estrias ou flacidez tem capacidade muito maior de retração promovendo um melhor resultado estético em comparação às peles com estrias e flacidez.

1. A MAMAPLASTIA DE AUMENTO DEIXA CICATRIZES?

 

Toda cirurgia deixa cicatrizes em nosso corpo, algumas delas menores e mais escondidas. Este é o caso da cirurgia de prótese mamária, na qual as ficam em locais bem escondidos. A cicatriz fica muito discreta, uma vez que além de pequena e de boa qualidade fica localizada em uma localização oculta. O tamanho dessa cicatriz é cada vez menor na cirurgia de prótese mamária, medindo entre 3 e 4 cm.

 

2. ONDE SE LOCALIZAM AS CICATRIZES DA CIRURGIA?

 

São três as localizações possíveis da cicatriz na mamaplastia de aumento. Pode ser localizada no sulco formado entre a mama e o tórax, no limite externo e inferior da aréola ou até mesmo na axila. Cada cicatriz tem suas vantagens e desvantagens, o que será amplamente explicado por seu cirurgião na consulta. O tamanho da mesma não muda, sendo o menor possível que permita a colocação da prótese (entre 3 e 4 cm dependendo do tamanho da prótese a ser utilizada).

 

3. COMO SABER SE DESENVOLVEREI CICATRIZES MUITO VISÍVEIS, FORMANDO QUELÓIDES?

 

A tendência ao desenvolvimento de cicatrizes hipertróficas ou queloides é muito influenciada por fatores genéticos. Em geral, pessoas de pele clara têm uma menor tendência a esta complicação cicatricial, enquanto pessoas de pele morena ou orientais têm maior predisposição ao queloide ou cicatriz hipertrófica. Essa tendência, entretanto, poderá ser prevista durante a consulta inicial, quando lhe fazemos uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Esta tendência, entretanto, não é uma regra absoluta, a análise dos antecedentes facilita o prognóstico mas não o define. Esta tendência genética influenciará na cicatriz independentemente da localização da mesma na mama ou na axila.

 

4. EXISTE CORREÇÃO PARA ESTAS CICATRIZES INESTÉTICAS NAS MAMAS?

 

Hoje em dia a cirurgia plástica dispõe de vários recursos que nos permitem não só melhorar tais cicatrizes como prevenir seu aparecimento. Pomadas e injeções a base de corticoide no local da cicatriz e pequenas placas compressivas de silicone constituem no principal tratamento, que será instituído por seu cirurgião na época adequada. Lembramos que os queloides ou cicatrizes hipertróficas não devem ser confundidos com a evolução normal de uma cicatriz, que mantém um aspecto avermelhado nos primeiros 2 meses e melhora gradualmente com o tempo. Lembrar que dúvidas a respeito da sua cicatriz deverão ser esclarecidas por seu cirurgião e não por terceiros.

 

5. OUVI FALAR QUE EXISTEM VÁRIOS FORMATOS DE PRÓTESE. POSSO ESCOLHER A FORMA E O TAMANHO QUE QUISER?

 

As pacientes diferem muito entre si em relação ao tamanho, forma, consistência e simetria das mamas. Então não é porque uma amiga ou uma atriz conhecida colocou uma prótese de determinado formato e tamanho que necessariamente você poderá colocar a mesma prótese. Uma prótese mamária de 275 ml pode ser ideal para uma paciente de 1,65m mas poderá ser grande para uma outra paciente de 1,50 e biótipo magro, com tórax estreito. Após um exame físico minucioso, realizado com várias medidas da mama e do tórax seu cirurgião indicará a forma e o tamanho mais adequado da prótese a ser utilizada em você, permitindo um resultado agradável e proporcional a seu corpo.

 

6. É POSSÍVEL ESCOLHER O TAMANHO DE MINHA PRÓTESE BASEADO APENAS EM MEU PESO E ALTURA ?

 

Certamente não. Existem muitas outras variáveis utilizadas para o cálculo da prótese ideal em cada paciente. Além do peso e altura do paciente, levamos em consideração o tamanho do tórax, a elasticidade da pele das mamas, a distância existente entre as mamas no tórax, o tamanho atual das mamas e a expectativa do paciente em relação ao aumento. Todas estas medidas são calculadas em um exame físico minucioso realizado durante a consulta médica. Sendo assim, se sua amiga tem 1,65m de altura, 55 kg e ficou muito satisfeita com uma prótese mamária de 275 ml, talvez este tamanho não seja ideal para você. Em resumo, nada substitui um exame físico detalhado e uma consulta médica bem feita para a decisão final no tamanho da prótese.

 

7. COMO FICARÃO MINHAS MAMAS EM RELAÇÃO AO TAMANHO E CONSISTÊNCIA APÓS A CIRURGIA?

 

As mamas certamente terão seu volume aumentado após a cirurgia de prótese mamária. Outro objetivo da mesma cirurgia é melhorar a forma e consistência das mesmas. Hoje em dia dispomos de mais de dez tipos diferentes de formatos de prótese mamária, além de uma grande variação de tamanhos. Outra variação existente é quanto ao tipo de material existente na superfície da prótese (lisa ou texturizada) e ao revestimento interno da mesma (espuma de poliuretano ou silicone altamente coesivo). Existem indicações para cada um desses tipos o que será explicado por seu cirurgião durante a consulta. O que deve ser preservado, no entanto, é a harmonia existente entre o tamanho do tórax, a altura da paciente e o volume ideal das mamas. Quanto à consistência, a da prótese mamária é maior que a do tecido mamário normal, sendo assim pacientes com pouca glândula mamária (a chamada hipomastia) apresentarão um aumento de consistência de suas mamas após a cirurgia de implante mamário.

 

8. MINHA PRÓTESE DE MAMA PODE ESTOURAR?

 

As próteses mamárias evoluíram muito nos últimos anos. Existem há mais de 30 anos e as atuais são muito mais resistentes e distensíveis que os primeiros modelos. Sendo assim um trauma torácico para estourá-las teria que ser forte o suficiente para quebrar costelas e provocar danos pulmonares. Caso isto aconteça na maioria das vezes o fabricante providenciará outra prótese ao paciente sem custos e a cirurgia de troca do implante poderá ser realizada pela mesma cicatriz prévia.

 

9. SE EU FICAR GRÁVIDA O RESULTADO PERMANECERÁ OU PODERÁ SER PREJUDICADO?

 

A manutenção do resultado depende de uma série de fatores. Certamente um dos principais diz respeito ao ganho de peso obtido durante a gestação. Ganhos de peso exagerados durante a gravidez (acima de 15 kg) provocarão a distensão da pele mamária e, após o emagrecimento esta pele pode ou não voltar ao seu aspecto prévio. A lactação (amamentação) também auxilia nesta distensão mamária.Caso a pele mamária não retorne ao seu aspecto original poderá ocorrer uma ptose (queda) das mamas, que ocorrerá em maior ou menor grau a depender do grau de distensão ao qual a pele foi submetida. A orientação do seu cirurgião em uma futura gravidez será no sentido de seguir um acompanhamento nutricional adequado que permita a você ganhar apenas o peso suficiente durante a gestação (uma média de 7 a 10kg) e seguir cuidados de rotina com sua pele mamária, utilizando hidratantes e cremes específicos para evitar a formação de estrias e manter a consistência normal da pele. Quanto à prótese mamária especificamente, a mesma não sofre qualquer alteração em formato e consistência com a gravidez ou amamentação.

 

10. A PRÓTESE MAMÁRIA PODE INTERFERFERIR NA AMAMENTAÇÃO?

 

Geralmente não. A prótese mamária pode ser colocada abaixo do músculo ou logo abaixo da glândula mamária e em ambas situações não existe interferência no crescimento mamário durante a gravidez e amamentação. O que pode ocorrer é uma pequena diminuição na eficiência da lactação nas cirurgias com cicatriz na aréola, uma vez que nesta situação ocorre lesão de alguns ductos mamários para permitir a colocação da prótese. No entanto, mesmo nesta cicatriz dificilmente ocorrerá uma diminuição significativa que impedirá a lactação em uma gestação futura.

 

11. QUANDO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO APÓS A CIRURGIA? E O INCHAÇO, DEMORA MUITO A REGREDIR?

 

O resultado imediato da mamaplastia de aumento é muito bom, no entanto somente no período tardio (após cerca de 6 meses) é que as mamas atingirão sua forma definitiva, com a regressão de todo o inchaço operatório. No entanto, a maior parte do edema (cerca de 90%) regride cerca de 2 meses após a cirurgia de colocação de próteses mamárias. A regressão do edema deixará suas mamas com um aspecto mais natural e bonito, sendo assim o resultado da cirurgia melhora progressivamente até o 6º.mês de pós-operatório.

 

12. O PÓS-OPERATÓRIO DA CIRURGIA DE PRÓTESE MAMÁRIA É DOLOROSO?

 

Em geral não. Seguindo as orientações médicas, principalmente com relação à restrição de movimentos nos braços nas primeiras duas semanas, a dor pós-operatória da cirurgia de prótese mamária é muito discreta e cede facilmente com analgésicos comuns. Existem variações individuais entre os pacientes e entre as cirurgias, por exemplo, a prótese mamária colocada abaixo do músculo é um pouco mais dolorosa que a colocada acima, mas mesmo esta dor em geral é perfeitamente contornada o uso de analgésicos comuns.

 

13. EXISTEM ALTERAÇÕES DE SENSIBILIDADE NAS MAMAS APÓS A MAMAPLASTIA DE AUMENTO?

 

Pode ocorrer uma pequena diminuição de sensibilidade nas mamas após a cirurgia, no entanto esta diminuição é temporária e tende a regredir até a normalidade em um período de até 6 meses. No entanto existem variações individuais entre os pacientes e esta diminuição pode tanto não acontecer como ser um pouco mais pronunciada em alguns casos.

 

14. QUAL O TIPO DE ANESTESIA UTILIZADA?

 

Na grande maioria dos casos anestesia peridural, em alguns casos anestesia geral. As indicações das anestesias bem como suas vantagens e desvantagens serão especificadas pelo seu anestesista em uma consulta realizada previamente à cirurgia.

 

15. QUANTO TEMPO DURA A CIRURGIA?

 

A duração média da cirurgia é de 90 minutos. Variações neste tempo podem ocorrer dependendo de cada caso, no entanto a duração da cirurgia dificilmente ultrapassará o período de 120 minutos.

 

16. POR QUANTO TEMPO FICAREI INTERNADA?

 

Geralmente por 24 horas, independente do tipo de anestesia utilizada. Em algumas situações, menos de 24 horas, quando o paciente opera de manhã e a tarde pode receber alta hospitalar.

 

17. SÃO USADOS DRENOS NA CIRURGIA DE PRÓTESE MAMÁRIA?

 

Quase sempre utilizamos um pequeno dreno que permanecerá no interior das mamas por um período médio de 24 horas, em geral sendo retirado antes de sua alta hospitalar. O dreno é importante no sentido de evitar o acúmulo de sangue e secreções no interior da sua mama , diminuindo assim a incidência de complicações na cirurgia e auxiliando na regressão do edema pós-operatório.

 

18. QUANDO PODEREI REALIZAR ATIVIDADES FÍSICAS?

 

Geralmente você estará habilitada a realizar caminhadas mais leves após 3 semanas da cirurgia. Corridas e ciclismo somente um mês após a cirurgia e musculação 2 meses após. Estes períodos são uma média e é importante você perguntar ao seu cirurgião se está habilitada a realizar qualquer tipo de atividade física antes de fazê-la.

 

19. QUANDO PODEREI DIRIGIR ?

 

Caso seu carro tenha direção hidráulica, 3 semanas após sua cirurgia você já estaria apta à dirigi-lo. Em carros com direção normal, o esforço excessivo em virar o volante pode forçar sua cicatriz e provocar possíveis descolamentos da prótese, sendo assim o recomendado seria voltar a dirigir após 1 mês. Dirigir motos e bicicletas é permitido 1 mês após a cirurgia, desde que com a utilização do sutiã cirúrgico e mantida certa cautela na direção.

 

20. QUAL A MELHOR LOCALIZAÇÃO PARA MINHA PRÓTESE : NA FRENTE OU ATRÁS DO MÚSCULO ?

 

Depende de cada paciente. Existem indicações para se colocar a prótese a frente ou atrás do músculo que deverão ser discutidas durante sua consulta. Em geral quando as próteses são localizadas a frente do músculo o resultado tende a ser mais natural, com melhor aspecto estético. No entanto em pacientes muito magras, com pele muito fina ou quantidade de tecido mamário muito pequena, a localização atrás do músculo é mais indicada, uma vez que o músculo funciona como uma proteção para esta prótese impedindo que a mesma fique superficial e palpável nas mamas. Enfim, a melhor localização dependerá do aspecto da suas mamas e deverá ser discutida com seu cirurgião plástico durante a consulta.

 

21. POR QUANTO TEMPO TEREI QUE UTILIZAR O SUTIÃ CIRÚRGICO (MALHA) ? E QUANDO PODEREI VOLTAR A TOMAR SOL?

 

É recomendado que você use o sutiã cirúrgico por pelo menos 1 mês após a cirurgia, uma vez que ele diminuirá o inchaço das suas mamas e protegerá suas cicatrizes, o que não acontece com os sutiãs convencionais com aro. No 2º.mês você poderá alterna períodos utilizando o sutiã cirúrgico e sutiãs sem aros que machuquem sua cicatriz, assim como períodos curtos seu utilizar o sutiã, a depender da avaliação do seu cirurgião. Quanto ao sol, o ideal é que o paciente se proteja dele por pelo menos 3 meses. Durante este período a cicatriz mamária ainda preserva um avermelhamento local, o que é totalmente esperado e regride espontaneamente conforme a mesma vai amadurecendo. Caso o paciente se exponha ao sol sem proteção solar adequada esta cicatriz poderá adquirir um aspecto mais escurecido (hipercromia) e não apresentará um resultado estético agradável. Mesmo após o 3º.mês o ideal é que o paciente tome sol mas aplique protetor solar fator 50 no local da cicatriz, uma vês que mesmo escondida pela roupa de banho existe uma ação de raios solares na cicatriz mamária, o que não ocorrerá com a aplicação do protetor.

 

22. O QUE VEM A SER A RETRAÇÃO DA CÁPSULA DA PRÓTESE DE MAMA (CONTRATURA) QUE OCORRE EM ALGUNS PACIENTES ?

 

É uma retração exagerada da cápsula fibrosa (cicatriz interna) que se forma em torno da prótese, determinando diferentes graus de endurecimento à região, quando palpada, mais conhecida como “rejeição da prótese”. Alguns casos podem sofrer retração com diferentes graus de dor nas mamas, se isto ocorrer as próteses poderão ser retiradas e trocadas. Posteriormente, ambos, cirurgião e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de outras próteses, com um diferente plano de introdução ou outra conduta que melhor se adapte ao caso. A retração da cápsula não reflete um problema cirúrgico, mas sim, um comportamento reacional exacerbado do organismo, devido à presença das próteses de silicone. No entanto atualmente a qualidade das novas próteses de silicone diminui muito a incidência destas retrações nas pacientes. Sua ocorrência gira em torno de 3% dos casos. Os leigos costumam chamar de “rejeição” a contratura da cápsula, porém a mamaplastia de aumento não produz a verdadeira rejeição, por ser o silicone inerte e não levar à produção de anticorpos.

 

23. VOU PRECISAR TROCAR MINHAS PRÓTESES DEPOIS DE ALGUNS ANOS?

 

Esta certamente é uma das principais dúvidas das pacientes em cirurgias de prótese mamária. Antigamente a próteses mamárias possuíam um material de qualidade bem inferior ao utilizado hoje em dia, com superfície da prótese mais grosseira, sujeitando o organismo a maiores riscos de resultados insatisfatórios como a retração capsular explicada acima. Invariavelmente depois de 7-8 anos as próteses perdiam sua forma e tamanho originais, necessitando ser trocadas pelo cirurgião. Hoje em dia, com o avanço da Medicina e Cirurgia Plástica, possuímos próteses mamárias de qualidade bem maior, com riscos cada vez menores de complicações. Alguns fabricantes orientam que após 12-15 anos as próteses podem ter alguma alteração em seu formato, no entanto a prática diária nos mostra que as últimas gerações de próteses permanecem na maioria dos casos mais de 15 anos sem grandes alterações. Em resumo, após 12-15 anos é maior a chance das próteses mudarem de formato, o que pode ou não acontecer, a depender de cada paciente. O que ocorre é que após cerca de 15 anos a mama naturalmente sofre alterações condizentes com a idade do paciente, tais como diminuição em seu volume e flacidez da pele e muitas destas procuram novamente o cirurgião no intuito de corrigir tais alterações (seja mudando o formato ou tamanho da prótese, seja realizando uma retirada de pele). Sendo assim, mesmo com a prótese mamária sem alteração em seu formato ou tamanho, muitas vezes o paciente opta por trocá-la na tentativa de reverter as alterações provocadas pelo tempo.

 

24. QUANDO SERÃO RETIRADOS OS PONTOS ?

 

Na grande maioria dos casos o paciente não terá qualquer ponto externo, apenas pontos internos seguidos da aplicação na pele de uma cola cirúrgica (Dermabond). Esta cola além de melhorar o aspecto estético da cicatriz, permite uma impermeabilização da mesma diminuindo o sangramento e risco de infecção após a cirurgia. Caso a cirurgia seja realizada pela aréola, alguns pontos poderão ser dados externamente e retirados após o 5º.dia de cirurgia.

 

25. A MAMAPLASTIA DE AUMENTO CORRIGE A FLACIDEZ DAS MAMAS?

 

A prótese de mama aumenta o volume da mama e, consequentemente, provoca uma certa distensão na pele da mesma. Em casos de pequenos excessos de pele a prótese de mama permite a correção dessa pequena flacidez. No entanto em casos de grande flacidez e queda da mama (ptose) será necessário retirar pele e reposicionar a mama em seu local anterior (mastopexia), podendo ser associada ou não a colocação de uma prótese mamária para aumentar o volume mamário permitindo uma maior consistência às mamas.

 

26. POSSO ASSOCIAR OUTRA PLÁSTICA À PRÓTESE DE MAMA ?

 

Sim. É extremamente comum a associação de outras cirurgias à cirurgia de prótese mamária, principalmente a lipoaspiração. Outras associações bem frequentes são com rinoplastias e abdominoplastias. Toda associação deverá ser questionada ao seu cirurgião, sendo que a possibilidade de associar mais de duas cirurgias não costuma ser recomendada, uma vez que a duração excessiva pode trazer mais malefícios que benefícios às pacientes.

 

27. EXISTE REJEIÇÃO À PRÓTESE DE MAMA?

 

Não existe rejeição à prótese mamária. A rejeição na Medicina ocorre quando há a formação de anticorpos contra células transplantadas de um ser vivo diferente (por exemplo, em um transplante de fígado). Sendo o silicone inerte, não provoca a formação de anticorpos e não ocorre rejeição. O que se chama habitualmente de rejeição da prótese de mama na verdade corresponde à contratura da cápsula mamária, formada ao redor da prótese.

 

28. EXISTEM RISCOS NA MAMAPLASTIA DE AUMENTO?

 

Raramente ocorrem complicações sérias na mamaplastia de aumento. Isto ocorre em decorrência de uma preparação adequada dos pacientes, além de ponderarmos sobre a conveniência ou não da associação desta cirurgia a outras. Os riscos da cirurgia de prótese mamária são os inerentes a qualquer outro procedimento cirúrgico (sangramento, infecção, cicatrizes inestéticas) e alguns riscos específicos, como a contratura da cápsula mamária explicada acima. No entanto a escolha de um bom profissional, Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e a escolha de um hospital ou clínica adequados e bem equipados para o procedimento cirúrgico ajudam a minimizar tais riscos.

1. COMO SÃO AS CICATRIZES DA MAMAPLASTIA REDUTORA?

 

Existem inúmeras técnicas descritas para a mamaplastia redutora e lifting de mamas. Cada umas delas com suas vantagens, desvantagens e indicações, sendo assim o formato e extensão da cicatriz dependerá da técnica utilizada e do tipo de mama da paciente, o que será definido durante a consulta médica. Partindo dessas variáveis, podemos ter mamaplastias com cicatriz periareolar, com cicatriz vertical, com cicatriz em “T invertido (horizontal e vertical) ou cicatriz em forma de “L”.

 

2. COMO SABER SE DESENVOLVEREI CICATRIZES MUITO VISÍVEIS, FORMANDO QUELÓIDES?

 

A tendência ao desenvolvimento de cicatrizes hipertróficas ou queloides é muito influenciada por fatores genéticos. Em geral, pessoas de pele clara têm uma menor tendência a esta complicação cicatricial, enquanto pessoas de pele morena ou orientais têm maior predisposição ao queloide ou cicatriz hipertrófica. Essa tendência, entretanto, poderá ser prevista, até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe faremos uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Esta tendência, entretanto, não é uma regra absoluta, a análise dos antecedentes facilita o prognóstico mas não o define. Esta tendência genética influenciará na cicatriz, independentemente da extensão ou formato da mesma.

 

3. EXISTE CORREÇÃO PARA ESTAS CICATRIZES INESTÉTICAS NAS MAMAS?

 

Hoje em dia a cirurgia plástica dispõe de vários recursos que nos permitem não só melhorar tais cicatrizes ( queloides e cicatrizes hipertróficas) como prevenir seu aparecimento. Pomadas e injeções a base de corticoide no local da cicatriz e pequenas placas compressivas de silicone constituem o principal tratamento, que será instituído por seu cirurgião na época adequada. Lembramos que os queloides ou cicatrizes hipertróficas não devem ser confundidos com a evolução normal de uma cicatriz, que mantém um aspecto avermelhado nos primeiros 2 meses e melhora gradualmente com o tempo. Lembrar que dúvidas a respeito da sua cicatriz deverão ser esclarecidas por seu cirurgião plástico e não por terceiros.

 

4. O PÓS-OPERATÓRIO DA MAMAPLASTIA É DOLOROSO?

 

Nos primeiros dias é normal sentir uma dor discreta, que cede perfeitamente com o uso de analgésicos e anti-inflamatórios comuns. Lembramos que o repouso da paciente ajuda muito no controle da dor, sendo assim caso você siga as orientações médicas referentes à movimentação dos braços, atividades físicas e demais esforços dificilmente ocorrerá dor forte.

 

5. QUAL O TIPO DE ANESTESIA UTILIZADA?

 

Na grande maioria dos casos anestesia peridural, em alguns casos, anestesia geral. As indicações das anestesias bem como suas vantagens e desvantagens serão especificadas pelo seu anestesista em uma consulta realizada previamente à cirurgia.

 

6. QUANTO TEMPO DURA A CIRURGIA?

 

A duração da cirurgia é variável entre os pacientes, no entanto podemos afirmar que a mamaplastia dura entre três e quatro horas.

 

7. POR QUANTO TEMPO PERMANECEREI INTERNADA?

 

Geralmente por 24 horas.

 

8. SÃO UTILIZADOS DRENOS NA CIRURGIA DE PRÓTESE MAMÁRIA?

 

Quase sempre utilizamos um pequeno dreno que permanecerá no interior das mamas por um período médio de 24 horas, em geral sendo retirado antes de sua alta hospitalar. O dreno é importante no sentido de evitar o acúmulo de sangue e secreções no interior da sua mama , diminuindo assim a incidência de complicações na cirurgia e auxiliando na regressão do edema pós-operatório.

 

9. QUANDO PODEREI REALIZAR ATIVIDADES FÍSICAS?

 

Geralmente você estará habilitada a realizar caminhadas mais leves após 3 semanas da cirurgia. Corridas e ciclismo somente um mês após a cirurgia e musculação 2 meses após. Estes períodos são uma média e é importante você perguntar ao seu cirurgião se está habilitada a realizar qualquer tipo de atividade física antes de fazê-la.

 

10. POR QUANTO TEMPO TEREI QUE UTILIZAR O SUTIÃ CIRÚRGICO (MALHA) ? E QUANDO PODEREI VOLTAR A TOMAR SOL?

 

É recomendado que você use o sutiã cirúrgico por pelo menos 1 mês após a cirurgia, uma vez que ele diminuirá o inchaço das suas mamas e protegerá suas cicatrizes, o que não acontece com os sutiãs convencionais com aro. No 2º.mês você poderá alterna períodos utilizando o sutiã cirúrgico e sutiãs sem aros que machuquem sua cicatriz, assim como períodos curtos seu utilizar o sutiã, a depender da avaliação do seu cirurgião.
Quanto ao sol, o ideal é que o paciente se proteja dele por pelo menos 3 meses. Durante este período a cicatriz mamária ainda preserva um avermelhamento local, o que é totalmente esperado e regride espontaneamente conforme a mesma vai amadurecendo. Caso o paciente se exponha ao sol sem proteção solar adequada esta cicatriz poderá adquirir um aspecto mais escurecido (hipercromia) e não apresentará um resultado estético agradável. Mesmo após o 3º.mês, o ideal é que o paciente tome sol mas aplique protetor solar fator 50 no local da cicatriz, uma vês que mesmo escondida pela roupa de banho existe uma ação de raios solares na cicatriz mamária, o que não ocorrerá com a aplicação do protetor.

 

11. TENHO MAMAS CAÍDAS E FLÁCIDAS MAS ESTOU SATISFEITA COM O TAMANHO DAS MESMAS. POSSO REALIZAR A MAMAPLASTIA SEM REDUÇÃO NO TAMANHO DAS MAMAS?

 

Geralmente sim. Neste caso, a cirurgia se denomina mastopexia (lifting de mamas). Tecnicamente esta mamaplastia poderá ser realizada apenas com a retirada de pele, sem a retirada do tecido mamário que é realizada na mamaplastia redutora. A extensão e formato das cicatrizes dependem do grau de queda (ptose) das mamas, podendo ser periareolar, em formato de “T “ invertido, em formato de “L” , ou apenas vertical. Importante lembrar que a própria retirada de pele proporciona uma pequena diminuição das mamas, no entanto é necessária para proporcionar um reposicionamento mamário adequado.

 

12. COMO FICARÃO MINHAS MAMAS APÓS A CIRURGIA, EM RELAÇÃO AO TAMANHO E CONSISTÊNCIA?

 

As mamas poderão ter seu volume reduzido na mamaplastia redutora ou mantido, na mastopexia. Além disso, naturalmente terão sua consistência e forma melhorados após a cirurgia, com a correção da ptose (queda) mamária ou hipertrofia porventura existentes. Sendo assim, para os casos de redução de volume ou correção de ptoses mamárias podemos optar por vários volumes, dentre os possíveis que a mama original nos permita escolher, sem comprometê-la futuramente. Assim como nas cirurgias de aumento mamário, deverão ser equilibradas as proporções entre o volume da nova mama, o tamanho do tórax e a altura da paciente, proporcionando harmonia estética. Importante lembrar, entretanto, que as novas mamas passam por alguns períodos evolutivos a seguir especificados :

  1. a)Período Imediato : vai até o 30º. dia de pós-operatório. Neste período, apesar das mamas apresentarem notável melhora em seu aspecto , sua forma ainda está aquém do resultado planejado, uma vez que até que se atinja a forma definitiva, surgem “pequenos defeitos” aparentes iniciais (inevitáveis em todos os casos), que tendem a desaparecer com o decorrer do tempo. Lembre-se que nenhuma mama fica perfeita logo após a cirurgia, o resultado é gradual e melhora com o passar dos meses.

  2. b)Período Mediato : vai do 30º.dia até o 6º.mês de pós-operatório. Neste período, a mama começa a apresentar uma evolução que tende à forma definitiva.

    Neste período poderá ocorrer uma certa insensibilidade ou hipersensibilidade na região do mamilo, além de maior ou menor grau de “inchaço ” das mamas; além disso, sua forma apesar de muito próxima da definitiva, ainda tende a melhorar. As cicatrizes, antes avermelhadas e endurecidas, passam a adquirir uma coloração mais clara e consistência mais próxima ao definitivo. Apesar de certa euforia da maioria das pacientes já neste período, o resultado ficará ainda melhor nos próximos meses após a cirurgia.

  3. c)Período Tardio : Vai do 6º ao 12º mês. É o período em que a mama atinge seu aspecto definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade). Pequenas imperfeições que existiam nos períodos anteriores serão naturalmente corrigidas, assim como a regressão do edema e a melhoria estética da cicatriz.Tem grande importância na manutenção do resultado final, o grau de elasticidade da pele das mamas bem como o volume conseguido. O equilíbrio entre ambos varia de caso para caso.

 

13. QUANTO TEMPO APÓS A MAMAPLASTIA ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?

 

Como citado acima o resultado imediato é muito bom, no entanto somente entre o 6º. e 12º.mês as mamas atingirão sua forma, consistência, volume e sensibilidade definitivas.

 

14. CASO EU FIQUE GRÁVIDA, O RESULTADO PERMANECERÁ OU FICARÁ PREJUDICADO?

 

A manutenção do resultado depende de uma série de fatores. Certamente um dos principais diz respeito ao ganho de peso obtido durante a gestação. Ganhos de peso exagerados durante a gravidez (acima de 15 kg) provocarão a distensão da pele mamária e, após o emagrecimento esta pele pode ou não voltar ao seu aspecto prévio. A lactação (amamentação) também auxilia nesta distensão mamária. Caso a pele mamária não retorne ao seu aspecto original poderá ocorrer uma ptose (queda) das mamas, que ocorrerá em maior ou menor grau a depender do grau de distensão ao qual a pele foi submetida. A orientação do seu cirurgião em uma futura gravidez será no sentido de seguir um acompanhamento nutricional adequado que permita a você ganhar apenas o peso suficiente durante a gestação (uma média de 7 a 10kg) e seguir cuidados de rotina com a pele das mamas, utilizando hidratantes e cremes específicos para evitar a formação de estrias e manter a consistência normal da pele. Com relação à lactação, a mesma em geral não ficará prejudicada, podendo ser afetada apenas em casos de grandes reduções mamárias (gigantomastias).

 

15. QUANDO SERÃO RETIRADOS OS PONTOS DA MAMAPLASTIA?

 

Em geral, só existirão pontos ao redor da aréola, uma vez que no restante da cicatriz serão utilizados pontos internos e cola cirúrgica (Dermabond). Estes pontos serão retirados no consultório entre o 7º. e o 10º.dia, sem maiores incômodos.

 

16. SERÃO UTILIZADOS CURATIVOS?

 

Sim. Curativos modeladores com objetivo de proteger as cicatrizes e acelerar a regressão do edema mamário. Estes curativos serão trocados periodicamente no consultório em período a ser determinado por seu cirurgião plástico.

 

17. QUANDO TOMAREI BANHO COMPLETO?

 

Geralmente em 48 horas após a cirurgia. Após este período, o ideal é evitar umidificar as cicatrizes na primeira semana, sempre mantendo-as bem secas para acelerar a cicatrização e evitar infecções cirúrgicas.

blog dr. iuri barbosa